quarta-feira, 17 de junho de 2015

"...and all I got is your hand..."

Enquanto espero o The Sims 4 atualizar pensei em escrever, já que faz milênios que não o faço. Como sempre: Eu penso em escrever, até abro a página do blog, até escrevo...
Provavelmente deve ter uns 20 rascunhos salvos aqui e com certeza eles vão se manter rascunhos... rascunhos de coisas que gostariam de ter sido ditas (ou não), fatos e atos que aconteceram no passado que queriam ter sido importantes e não foram! Para o bem ou para o mal!

Não eu não estou triste, nem chateada, nem depressiva, nem na bad, nem em crise existencial ( como normalmente eu estou). Eu estou igual a página do blog quando eu abri o site... em branco!
Prestes a escrever alguma história emocionante ou apenas voar com o vento quando for solta. Não sei! E definitivamente eu não quero saber... quero deixar rolar.
Como sempre cansei de meter os pés pelas mãos... estou tentando me manter fora de problemas.

Em pausas reflexivas feitas nesses últimos dias eu percebi que talvez as melhores e as piores coisas da minha vidinha pacata aconteceram por conta da minha impulsividade. As boas não tem por que reclamar, mas com certeza elas aconteceriam da mesma forma eu forçando-as ou não... Mas as más... O que me assombra é pensar que talvez eu estraguei algo que poderia ter sido bom!
Enfim... nunca vou saber e não posso lamentar para sempre...
A frase clichê para esse momento é: Quando não é para ser, não adianta!
Acho que isso descreve meus tormentos e expectativas sobre os momentos passados nos últimos anos. Mas juro à todos que estão lendo esse post nesse momento (provavelmente só a minha mãe, então - mãe!) que eu estou fazendo o meu melhor para que isso não se repita (propositadamente).

Eu coloco dessa maneira, por que eu sei que haverá momentos na vida que terei que me jogar para poder atingir algo! Entretanto,  não posso viver a beira de abismos a todo instante, além de perigoso é muito desgastante. Ter que estar sempre atenta para não cair, sempre alerta aos perigos comuns e mais aos que eu mesma proporciono. Então... sim! Equilíbrio...
Acho que agora estou preparada para essa jornada pessoal:

Auto-conhecimento + Buscas + Caminhos + Dificuldades + Equilíbrio - Expectativas!

É muito possível que eu já tenha abordado esse tema recentemente... Atitudes, escolhas, resultados... Talvez seja a minha forma de pedir desculpas, ou mesmo, tentar entender uma parte do meu desenvolvimento que foi comprometido por questões bioquímicas, mas também por questões pessoais. Existem pessoas as quais eu gostaria de todos os dias me desculpar pelas péssimas escolhas que fiz, pelas minhas confusões, por não entender o que acontecia comigo, nem com o mundo.
Contudo, perceba o erro nessa frase... eu queria me desculpar ao outro pelo mal que infligi à mim mesma ( coisas que as vezes nem eu mesma considerei mal, mas foram consideradas ruins dentro de um padrão de comportamento pré-estabelecido ). Lógico que se eu te magoei, eis aqui meu pedido de desculpas! Mas por que eu sinto essa necessidade de ser aceita e agradável e correta sempre.

Preciso entender que eu não sou perfeita... na verdade longe disso. Eu sou apenas mais um ser humano que coexiste no planeta Terra desde 1989 até o presente momento. Com vontades próprias, sonhos, desejos, medos, mimos, as vezes legal, mas as vezes muito chata. Paciente e impaciente para as mesmas coisas em momentos diferentes. Amo tudo até que se prove o contrário... Tenho pavor de borboleta e acredito em espíritos. Fui criada por uma família estável financeiramente que batalhou muito para chegar onde chegou e que com seus erros e acertos fizeram e fazem tudo por mim e para meu desenvolvimento. Fisicamente eu puxei os Defávoris... a altura, o quadril, o cabelo, o queixo e os olhos... Psicologicamente eu puxei os Pereiras... criativa, intuitiva, imaginativa, paranóica... Algumas características são minhas mesmo... Gosto de ouvir música, dançar, cantar e fazer os 3 no carro! Sou pirracenta e preguiçosa, mas as vezes a preguiça vem por que eu tenho um pouco de TOC e prefiro não fazer a ter que fazer do jeito que minha cabeça acha que eu deveria fazer. Te amo! Estou me amando! Amo a Deus e a minha família - considero meus cachorros parte da família e acho que vou ser avó nos próximos meses. Acredito no poder da palavra, sou extremamente textocêntrica... analiso letra de música, conversa no zapzap, tinha mais costume de ler do que atualmente, mas estou tentando voltar. As vezes me acho uma velha num corpo de jovem, as vezes me acho uma jovem no corpo de velha, isto tudo devido as dores eternas que sinto nas minhas costas. Odeio que me peçam pra fazer algo duas vezes, se eu disse que vou, eu vou no meu tempo! Mas odeio mais ainda que me peçam para fazer algo que eu já vou fazer naturalmente. Ainda mais quando isso inclui o fato deu ter que pausar meu seriado para ir ouvir a ordem. Gosto de sair à noite, mas sinto falta de roles à tarde mais de boa. Sou romântica quando quero. Mas tudo tem sua hora e lugar. Dominadora, mas adoro ser dominada. Já fui da fase do rosa, do preto, acho que agora eu to na fase das cores pasteis, mas na verdade não tenho mais uma cor. Vou a praia, mas gosto do campo... E quase nunca entro no mar. Acompanho a parte cultural, esportiva, nerd, entretenimentos em geral porque para mim é tudo importante. Me arrependo de não ter feito basquete na escola e não ter feito ballet. Eu também queria fazer ginástica olímpica, mas minha mãe disse que eu era muito grande e desengonçada - ainda sou. Sou amiga... e dou conselho para minhas amigas, mas muitas vezes eu mesma não sigo. Mas não sou tão companheira, por que têm vezes que prefiro ficar sozinha. Gosto de ser o centro das atenções, entretanto eu detesto ser notada em algum lugar quando chego. Tem vezes e lugares que eu me sinto inadequada por motivos ridículos, tem vezes e lugares que as pessoas que fazem ou me sentir inadequada por motivos mais ridículos ainda. Tenho medo de morrer e de ficar sozinha. Quero ser mãe e provavelmente minha filha vai se chamar Annie ou Amy ou Amélia e o menino Marcelo ou Theo. Nunca vi neve. Já fui assaltada. Tenho sonhos perigosos. Gosto de estudar. Queria saber andar de patins e encontrar sapatos da Melissa no meu número. Raramente consigo ir ao banheiro sem ligar para a Angélica, e não, nós duas não namoramos. Acredito que existem almas gêmeas e tenho quase certeza que já achei as 3 - que uma vez minha mãe disse que nós tinhamos 3 almas gêmeas - se esse é o caso tô lascada por que duas são mulheres e uma é um amigo. Acho que já estou sem saber o que falar de mim embora exista muito mais... Quero o bem de todos, mas estou aprendendo a falar Não! e pensar no que é bom para mim também. Amo comida japonesa, Spoletto, músicas remix na internet e vídeos de criança, Harry Potter, McFly e Londres - vou pra lá. Essa sou eu.. esse é o pacote...

Mas acho que o mais importante: Nada disso é minha culpa!
São coisas que simplesmente são, como são, por que são.
Odeio inveja... odeio que sintam inveja "de mim"... por que a grama do vizinho sempre parece mais verde, mas pula lá que você vai ver as pragas que ele tem que enfrentar todos os dias.
Sou feliz por que quero, não pelas coisas que tenho! Sou feliz por que amo, não pelas coisas que tenho! Sou feliz por que tenho uma família e amigos que me amam, não pelas coisas que tenho! Fico triste quando se importam com as coisas que tenho, não com as coisas sou! E tem momentos que só estou normal por que não sou obrigada a ficar feliz sempre!



6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Que louco esse blog, eu comentei e ele nao foi, anyway, EU TAMBÉM LEIO SEUS POSTS BLZ?
    Btw, sobre Londres, go to your place, GO GET 'EM GIRL, just don't lose your soul there :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhllll *-----*
      Obg e pode deixar que eu trago Londres comigo quabdo eu voltar!

      Excluir